This site uses cookies to provide a better experience. Continuing navigation accept the use of cookies by us OK

Primeira encenação no Brasil da ópera italiana barrocca "Tolomeo e Alessandro" no Grande Teatro do Palacio das Artes - 23 outubro 2021 às 20h30

Date:

10/22/2021


Primeira encenação no Brasil da ópera italiana barrocca

Consulado da Itália em Belo Horizonte, Ministério do Turismo, Governo de Minas Gerais / Secretaria de Estado de Cultura e Turismo, Fundação Clóvis Salgado e Instituto Unimed-BH apresentam TOLOMEO E ALESSANDRO, ópera  de Domenico Scarlatti de 1711.

O dia 23 de outubro de 2021 (sábado), às 20h30, entrará, por diversas razões, para a história da Fundação Clóvis Salgado (FCS), instituição cultural brasileira que, desde 1971, produz montagens operísticas por excelência. A data marcará a primeira encenação na América da ópera TOLOMEO E ALESSANDRO, com música de Domenico Scarlatti e libreto de Giuseppe Capece.

Há outra questão que também ajuda a dimensionar a importância dessa montagem. Composta em 1711, TOLOMEO E ALESSANDRO representa também a primeira encenação no Brasil de uma obra da família italiana Scarlatti. E, neste caso, essa obra apresenta de maneira magistral, por meio de música e poesia, questões humanas universais, como o amor, o ciúme, a inveja, a ambição e a fraternidade.

Resultado da parceria cultural entre a Fundação Clóvis Salgado, o Consulado da Itália em Belo Horizonte e a OPEMG Cia de Ópera Barroca, a montagem de TOLOMEO E ALESSANDRO tem direção musical, artística e regência de Robson Bessa, direção vocal de Sérgio Anders e direção cênica de Francisco Mayrink.

Protagonizam a história os solistas Sàvio Faschét (contratenor), no papel de Tolomeo; e Daiana Melo (soprano), interpretando Alessandro. Completam o elenco Camila Corrêa (Elisa), Carol Rennó (Dorisbe), Luane Voigan (Seleuce) e Sérgio Anders (Araspe). A encenação contará com a execução musical da Orquestra Barroca Musica Figurata, a mais antiga e mais importante orquestra especializada em música barroca de Minas Gerais. Realizou concertos em diversas cidades do Brasil, Paraguai e Canadá, trabalhando com grandes artistas como Sérgio Anders, Nichola Viggiano, Patrice Côté. Foi responsável pela criação, de 2005 a 2014, da série de concertos ‘Museu Mineiro e as Origens da Música Colonial Mineira’.

A proposta da montagem é mergulhar no universo da ópera barroca italiana através da obra de Domenico Scarlatti, filho de Alessandro Scarlatti, grandes compositores operísticos dos séculos XVII e XVIII. Nascidos na Itália, país onde surgiu a ópera, os Scarlatti foram fundamentais no desenvolvimento do gênero artístico que ganhou o mundo ocidental, sendo exportado para outros países, a partir do período barroco.

Robson Bessa, estudioso da música barroca italiana no Brasil e um dos principais especialistas na interpretação da música vocal da família Scarlatti, revela que entre os anos 1779 e 1781, foram representados mais de 70 títulos de óperas italianas, na Casa da Ópera, em Ouro Preto. "Antigamente, cidades como Sabará, Santa Luzia, Juiz de Fora, Nova Lima e São João del-Rei também abrigavam suas Casas da Ópera. A partir daí eu percebi a necessidade de recriar essa tradição da música barroca italiana em Minas Gerais. Por isso será encenada TOLOMEU E ALESSANDRO, com uma Orquestra Barroca, no Palácio das Artes, a principal instituição operística de Minas Gerais", pontua.

Para o Consul da Itália em Belo Horizonte, Dario Savarese, a ópera TOLOMEO E ALESSANDRO chega ao Palácio das Artes - num perfeito e, ao mesmo tempo, inesperado sincronismo - para fechar a XXI Semana da Língua Italiana no Mundo, conduzindo o público belo-horizontino em uma imersão na música barroca de Domenico Scarlatti. “Desde sua criação, o Consulado da Itália em Belo Horizonte promove a construção de uma ponte cultural entre a Itália e Minas Gerais e escolheu patrocinar essa iniciativa que, por meio da linguagem universal da música, renova o vínculo entre mineiros e italianos criado durante a emigração italiana no estado”, comemora Dario Savarese, que acrescentou: “Assim como os arquitetos emigrados da Itália marcaram a paisagem urbana da capital, iniciativas relevantes como a estreia desta ópera sempre vão ser relembradas”.

De acordo com a presidente da Fundação Clóvis Salgado, Eliane Parreiras, apresentar esse título inédito na América é uma ótima oportunidade para oferecer diferentes opções de repertório ao público. “É muito especial voltarmos a vivenciar, de forma segura, a experiência cultural que é assistir presencialmente uma Ópera. Realizada com a importante parceria da Cia de Opera Barroca, Consulado da Itália em Belo Horizonte e do Instituto Unimed-BH, esta iniciativa difunde a diversidade operística e proporciona ao público a oportunidade de apreciar uma montagem extremamente singular. Além disso, reforça o compromisso da FCS de estimular as co-produções, parcerias e as companhias independentes de ópera”, celebra Eliane Parreiras.

Desde o início da pandemia, essa é a primeira ópera realizada no Palácio das Artes e com a presença do público. Apresentação bastante diferenciada do Recital da soprano Eliane Coelho e do pianista Gustavo Carvalho, em novembro de 2020, e do Concerto Stabat Mater - O Drama do Barroco Italiano, com a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais e solistas convidados, em agosto de 2021. As duas apresentações líricas anteriores não contavam com a encenação teatral, característica singular de um espetáculo operístico.

Temporada de Ópera 2021 | Ópera Tolomeo e Alessandro

Data: 23 de outubro (sábado)

Horário: 20h30

Local: Grande Teatro Cemig Palácio das Artes

Endereço: Av. Afonso Pena, 1.537 – Centro – Belo Horizonte

Ingressos: R$30 (inteira) e R$15 (meia-entrada)

Podem ser adquiridos na bilheteria do Palácio das Artes

ou pelo site eventim.com.br

Informações para o público: (31) 3236-7400

Informações para a imprensa:

Júnia Alvarenga: (31) 99179-1215 l junia.alvarenga@fcs.mg.gov.br

Daniel Helvécio: (31) 99775-9075 | danielhelvecio@gmail.com

Thamiris Rezende: (31) 99154-9103 l thamiris.rezende@fcs.mg.gov.br


1367